Maxwell Alexandre e seu “SANGUE PRETO”

O que o Max está fazendo? Essa pergunta tem sido cada vez mais frequente nas sessões que fazemos por aí. Devolvemos e respondemos: isso tem importância para você? Claro! Max construiu ao longo dos anos uma história dentro do que chamamos Patins Street, ver uma virada nesse momento é no mínimo intrigante, mas para quem está próximo faz todo sentido. Afinal, o Maxwell Alexandre está fazendo Arte e isso é ótimo!

Maxwell - Sangue Preto - InstalaçãoSANGUE PRETO é um dos projetos mais elaborados que vimos nascer dentro dessa cultura, pois vai para além de seu público habitual. Chega ser difícil limitar em palavras o que apresentamos agora: patins street em vídeo, foto, pintura, instalação… ou se preferir: é Patins Street como fim e ferramenta para a forma artística.

O trabalho é resultado do amadurecimento como estudante de comnicação visual e o completo enviesamento pelas artes plásticas. Foi desenvolvido dentro de sua pesquisa de graduação e também uma forma de promover a parceria com a SSM, afinal, os novos e tão esperados patins chegaram no meio do processo (há dois anos atrás, enquanto o Gávea Tourist Hotel abandonado era ateliê e praticamente o segundo lar do Max).

Meu trabalho tinha um foco inicial específico, promover os novos SSMs. Porém, coincidiu de eu recebê-los exatamente no momento em que fazia uma autocrítica de minha trajetória dentro do Patins Street. Patrocínios, títulos, mídias, viagens, competições, tudo isso foram etapas importantes para eu chegar exatamente onde estou, cada degrau ajudou a solidificar meu nome dentro desta cultura, pelo menos em território nacional. Agora, o que me resta? Por que realmente ando de Patins Street? Eu me encontrava em transição, andar de Patins Street deixou de ter um fim prático e passou a ser uma atitude vadia, um meio para minhas criações.”

O fim da SSM em agosto de 2015 foi a pedra de toque nesse processo de transformação. Obviamente o Max não decidiu parar de patinar e muito menos deixar o trabalho pela metade por isso, mas em suas próprias palavras o novo cenário:

“…certamente alterou o caminho do Projeto, que foi deixando cada vez mais o lado da propaganda e se tornando uma homenagem à marca”

Uma vez que não existe mais enquanto marca, para nós a SSM virou um símbolo de resistência e um motivo para ver toda a indústria do Patins Street de outra forma. Já não esperamos outras marcas, mas, outras atitudes de quem leva à frente essa comunidade. O momento é de rever os passos e planejar novas ações para a cena.

Maxwell - Sangue Preto - Fish Stall

O Sangue Preto e audacioso de Maxwell Alexandre é um passo nessa direção, pois abre caminho para que nossa cultura seja mais do que um monte de manobras aglutinadas em um vídeo de patins. Somos apaixonados por isso e sempre será parte da vida: patinar, registrar e disseminar. Uma vez que não esperamos mais nada do Patins Street, finalmente ele pode ser tudo!

We Bleed Black

 

Maxwell + Arte + Walk Brand | Avante!

Estamos no início da segunda parte da turnê e em breve teremos outro post contando como estão sendo esses dias em Recife e João Pessoa, além do vídeo completo com os eventos, um pouco de cultura regional e muita rua, é claro. Mas antes queremos mostrar para vocês um pouco do que preparamos para esse momento tão especial.

Avante Norte Nordeste - KitMaxwell fez um trabalho foda na criação da identidade visual para a turnê, buscando referências na xilogravura da literatura de cordel, tipicamente nordestina. Aproveitou para mergulhar no tema e ir além, transformando a marca criada em produto e arte. Vamos economizar nas palavras para tentar descrever todo o processo. É muito mais legal mostrar como foi feito, não? Afinal, não bastasse todo o trabalho de fazer as artes, ele ainda registrou e finalizou um vídeo cheio de poesia, que só poderia sair do olhar de quem dedica seu tempo ao que acredita!

Avante - Walk - DetalheEm Belém, o sucesso do trabalho foi tanto que decidimos repetir a dose para Hellcife e Jampa. A colaboração com os parceiros da Walk Brand já estava na hora de acontecer, dessa vez foram eles os encarregados de produzir mais uma leva de camisetas para levarmos para a grande final do NISS. Ou seja, a qualidade da Walk e o selo criado por Max é com certeza a melhor produção do sul do mundo em termos de vestimenta para patinadores!

Avante - Walk - Detalhe 2E para ser justo, assim como no Norte, as 10 primeiras camisetas veem acompanhadas de uma arte xilogravada e numerada. O kit custará R$60 e basta procurar o Mad ou o Max nos próximos dias, entre as duas cidades, para garantir o seu. Se precisar de uma dica para achá-los, anote aí: a Etapa Final do NISS acontece dia 21 de Novembro, a partir das 14h, na pista da Caxangá e não perderemos por nada…

Avante | Em todos os sentidos!

Avante Norte Nordeste | NISS Belém do Pará

Vamos contar um pouco de como foi a primeira parte da turnê ‘Avante | Norte Nordeste’ que mesmo tendo como foco o NISS Belém, um dos principais eventos do ano, não pretendemos trazer aqui uma descrição detalhada de como foi a competição e os resultados, pois talvez essa seja a parte que menos importe para nós. Afinal, Belém é uma cidade marcada pela tradição no verdadeiro street, com inúmeros nomes de peso e uma ‘crew’ que já ultrapassa uma década de pura rua: a Ratoeira. E o NISS é mais que um evento, a cada etapa nasce e renasce da união e da vontade de fazer acontecer, coisa que só o Patins Street pode trazer… #éoNISSporra!

NISS Belém - Jimmy - Disaster Soul

NISS Belém - Podium!A primeira etapa do NISS no Norte teve um significado muito especial, pois além de ser a primeira etapa fora do Nordeste, reuniu patinadores de todas as regiões do país e abriu a porta para se pensar o NISS como circuito nacional em 2016 (será?). Além da participação de Jimmy e Mad representando a Vanguarda, outros grandes nomes como Gabriel Nunes, Alexandre Midula, Wellington Sá, Emanuel Nogueira, Allan Charles e a lenda Carlos Pianowski, contribuíram para completar o clima e deixar a festa mais divertida. Cristiano Borges como bom local, passeou pelo Street Park do Marex e levou o primeiro lugar do Open, com todo o mérito e torcida possível. 

NISS Belém - Mad - Alley Oop Top Porn - Marex

NISS Belém - Jimmy - Wallride (Tony)

Vale ressaltar que com organização e trabalho em equipe, os mestres Victor Brasil e Hugo Taichi acolheram todos e finalizaram um evento de grande porte em um período de apenas 7 horas, com direito a muito calor e chuva rápida, típica da região, para refrescar!

No dia seguinte umas das características mais extraordinárias do NISS se fez verdade. Jimmy já havia vivenciado isso algumas vezes (Teresina e São Luís), mas para o Mad foi um novo prazer em ver: todos juntos na sessão de rua. Os picos clássicos da capital paraense ficaram pequenos para tantos patinadores (como se esses estivessem ido para o Norte só pensando nessa sessão de rua, o que não deixa de ser uma verdade!). A tradição de sessões no melhor estilo Ratoeira valeu e muito, para fazer isso dar certo. Taichi, ‘Caveira’, Tony, Cristiano, Patrick, Anderson e tantos outros fizeram as honras e apresentaram os picos de Belém.

 

 

NISS Belém - Jimmy no BecoJimmy precisava voltar para São Luís junto com a crew Maranhese (que representou na rua) e se despediu com essa foto na lateral, depois de uma acalorada sessão onde ele, Mad, Midula, Taichi, Fábio, Dutra, Bia e Gabriel botaram um caninho para chorar escondido entre as barracas, depois de tantas marretadas.

Mad pôde continuar a turnê por mais dois dias, acompanhado de Midula, Gabriel e o grande Piá. A sessão nas mini-rampas de Icoaraci foi um presente para os olhos, não é todo dia que temos o privilégio de fazer uma sessão na margem do maior arquipélago de água doce do mundo: a Baía de Marajó. Gabriel é o responsável por esse fotão do Mad e ambos trabalharam para registrar o Piá aprontando das suas, com um Disaster Royal da plataforma para a grade da rampa.

NISS Belém - Mad - Áereo

NISS Belém - Piá - Disaster Royal

E como viajar para um evento de Patins Street é muito mais que só participar de uma competição, o último dia foi para conhecer melhor esse mundo à parte que é Belém do Pará, com direito a atravessar para uma das ilhas de ‘popopô’ e experimentar os peixes de água doce, é… a Amazônia!

O vídeo da turnê sairá em breve, logo depois da segunda parte da saga, que acontece em Recife, capital pernambucana, em menos de um mês… se vão sobrar pernas e fôlego? Não sabemos, mas estamos muito agradecidos pela recepção, todo suporte e carinho no Norte, deixamos aqui um OBRIGADO bem grande!!!

Avante | Norte Nordeste!

Lucas Fernandes | Na Pista

Lucas está de volta com a série ‘Na Pista’. Depois de um longo intervalo e diversos outros vídeos aqui no Blog, estava na hora de reverenciar as sessões cotidianas, que acontecem em pistas espalhadas por todo o Brasil e fazem a grande maioria dos patinadores felizes. A rua sempre será nossa preferência no patins street, mas respeitamos e gostamos muito de andar em pistas também. E Lucas é um exemplo de como se divertir com linhas e mais linhas, simplesmente fluindo!

As cenas, um pouco antigas, não deixam tão evidente o estilo que mudou bastante já e agora chama mais a atenção. Mas a facilidade de usar e enxergar infinitas possibilidades, na variedade de obstáculos de ‘Campon’, sempre foi marcante. Lucas é cria desse street park, mas não se limitou a usá-lo de maneira tradicional, sempre está explorando novas linhas e distribuindo suas manobras, únicas.

O vídeo traz outra fase da vida, diurna e muito bem aproveitada. A pista vazia e a trilha praticamente instrumental dá contorno às linhas, ajudam a mostrar que, para o Lucas, patinar é muito mais que simplesmente acertar manobras difíceis. É repensá-las. Portanto, encoste confortavelmente na cadeira, aumente o som e aperte o play!

 

Aproveite para rever os primeiros posts e vídeos ‘Na Pista’ através do link: Vanguarda | Na Pista

Em todos os sentidos,

Vanguarda

Sessão R.I.P | Maxwell Alexandre

Sensação de mais uma missão cumprida na Vanguarda, esse post traz novidades sobre os novos modelos da SSM e fecha a series RIP (Rest In Peace). Feita para nossos companheiros, que tanto nos aguentaram e mostraram seu verdadeiro valor (em tempos de crise, importantíssimos): resistir a sessões de todos os tipos e gostos, leves e pesadas, por muitos e muitos meses, até mesmo anos. Mad e Lucas, por exemplo, passaram de dois anos com os seus SSM, e o Max que se despede agora e em grande estilo do seu, também passou de um ano e meio com o SSM Bloodline II. Bom, choro derramado pelos finados e vamos dar as boas-vindas aos novos parceiros; muito, muito em breve!

Max - Step to Top Acid - SiteMaxwell é membro-fundador dessa marca, basta buscar em sua linha do tempo, algo perto do início de 2013, para ver essa expressão cheia de significado nascendo: Vanguarda! Mas ele tem honrado o nome e está muito a frente de seu tempo, além das sessões cada vez mais técnicas e significativas (pra quem viu seu vídeo Plaza 50mm vai entender bem o que queremos dizer), de uns tempos para cá mergulhou no mundo das artes plásticas, e o Patins Street veio junto, é claro. Mas em paralelo as sessões não param em RJ, em meio a faculdade, trabalhos, projetos e mais projetos, sempre tem uma merecida sessão. Seu vídeo de despedida dos SSM Bloodline II, para a série RIP, é um pouco de tudo junto e misturado: inovação, arte, a irreverencia de sempre e Patins Street de verdade.

SSM do Max: ✡ Janeiro de 2014 – † Julho de 2015

Despedidas feitas, vamos ao que interessa: os novos SSM já aportaram em terras tupiniquins, estamos somente esperando toda ‘burrocracia’ sair, em alguns dias eles estarão disponíveis em nossa loja on-line e também nas lojas de parceiros da Vanguarda… esperem para comprar seus novos patins, valerá a pena!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Sessão R.I.P | Erick Varela

Sessão R.I.P é mais que uma série, é uma forma de agradecer e dizer adeus aos nossos amados SSM que por mais de 2 anos aguentaram fortemente as sessões mais pesadas na rua. Erick também não vê a hora de colocar seus novos SSM no pé, agora é certeza que estarão no estoque da Vanguarda na segunda quinzena de Julho, enfim! Mas vamos continuar aqui a se despedir dos velhos companheiros!

Sessão R.I.P - Set-Up ErickErick Varela também foi um dos primeiros patinadores a usar os SSM no Brasil, antes mesmo de fazer parte da Vanguarda, foi assim que surpreendeu a todos nós com os vídeos da C4*. Apesar de não ter mostrado muito a cara nos últimos tempos (ainda se recuperando do explosivo vídeo de apresentação na Vanguarda), não poderia deixar de participar e honrar seu SSM com uma despedida à altura das anteriores. Sua parte para série RIP – Rest In Peace (Descanse em Paz) foi onde mais se divertiu com seus companheiros de sessão, escolheu os canos clássicos da capital para colocar pra baixo mais uma vez em uma única sessão de pura destruição!

SSM do Erick: ✡ Fevereiro de 2013 – † Junho de 2015
.

Mais posts com os outros vídeos da Sessão RIP clicando aqui. Os novos patins da SSM já saíram da fábrica e em julho estarão na loja on-line, vale esperar!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Sessão R.I.P | Jimmy Ferreira

Mais um vídeo para dar continuidade à série RIP – Rest In Peace (Descanse em Paz). Mantendo a linha dos dois primeiros posts, esse também é uma despedida do atual companheiro de sessão do Jimmy: seu SSM. Mas não se aflija, os novos modelos de Patins da SSM estão a caminho, e logo estarão em boas mãos maranhenses e disponíveis na loja. Junho é enfim o mês da chegada, mas antes vamos honrar os finados SSM!

Sessão RIP - Jimmy - RockSetUp

Jimmy foi um dos primeiros patinadores a usar os SSM no Brasil, é a identidade pura da marca, já teve vários modelos: SSM Montre Livingston, SSM Bolino e um SSM Chase cuja ‘skin’ não resistiu à chegada dos novos modelos e veio a falecer antes da gravação desse vídeo, infelizmente. Jimmy ressuscitou sua primeira ‘skin’ para não andar com seu SSM pelado pela ilha, seria “vergonhoso” para todos nós. Resolvido o problema, ele aproveitou o retorno a São Luís para fazer uma sessão de despedida digna de seu companheiro, foi para as ruas quebrar tudo e fazer um simbólico e macabro funeral!

SSM do Jimmy: ✡ Maio de 2013 – † Setembro de 2014

 

 

Entenda melhor sobre a Sessão RIP e os dois primeiros vídeos da série, clicando aqui. E para quem espera pelos novos SSM, junho tá logo ai!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Sessão R.I.P | Fabio Mad

Esse é o segundo post da série RIP – Rest In Peace (Descanse em Paz). A intenção é usar o sombrio conceito dessa frase para enfim nos despedirmos de nossos fiéis companheiros de sessão: nossos patins. É hora de dar boas-vindas aos novos modelos da SSM que estão à caminho, mas agora vamos primeiro homenagear o finado SSM Marc Moreno do Fabio Mad.

Sessão RIP - Mad e o jovem SSM Marc MorenoEm julho de 2012 o Mad fez suas primeiras cenas com esse SSM em uma sessão com Ton Neves e Daniel Santos. Eles estavam gravando no ‘caninho’ do Morumbi e o Mad aproveitou a câmera parada para registrar algumas manobras de ‘prima’. A regra era que só entrariam no vídeo as manobras acertadas na primeira tentativa. Bom, depois de quase 3 anos, nada mais justo que voltar ao clássico pico para fazer o vídeo de despedida e, para honrar o anterior, as manobras no ‘caninho’ também foram todas de ‘prima’. O tom fúnebre da trilha foi escolhido com carinho: é um Jazz clássico de funerais em New Orleans, usado aqui com todo respeito para se despedir de um grande companheiro de sessão, e por que não dizer de vida!

SSM Marc Moreno do Mad: ✡ Julho de 2012 – † Abril de 2015

Confiram o vídeo que inspirou essa despedida clicando aqui. E para quem está ansioso sobre novidades dos novos modelos da SSM, podem ir juntando as moedas que em maio eles estarão disponíveis em nossa loja on-line e de outros parceiros espalhados pelo Brasil!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Sessão R.I.P | Lucas Fernandes

Esse post tem um significado muito especial para nós pois abre a série RIP (Rest In Peace). Se preferir, em bom português: Descanse em Paz! A série de vídeos mostrará todos os membros da Vanguarda evocando o sombrio significado dessas palavras para enfim se despedir de nossos fiéis companheiros de sessão: nossos patins. Depois de aproximadamente 2 anos de uso é chegada a hora de aposentá-los e enfim dar boas-vindas aos novos modelos da SSM que estão à caminho! Sim, você não leu errado, os nossos SSM duraram aproximadamente DOIS anos… Quanto aos novos modelos, temos um tempinho ainda e escreveremos sobre em breve, mas vamos primeiro homenagear os finados!

Lucas e o jovem SSM Marc Moreno

Lucas Fernandes foi um dos primeiros patinadores convidados para a Vanguarda, muito antes da apresentação da loja para o público e em outubro de 2012 montou esse patins que utiliza até hoje. Foi com esse SSM Marc Moreno, ao lado, que ele gravou seu vídeo de apresentação para a Vanguarda, foi introduzido na Walk Band, participou de inúmeras sessões e amadureceu suas manobras inusitadas em um estilo único. Sim, ele se despede agora de um grande companheiro que mereceu todo amor e carinho até seus últimos minutos, em uma inesquecível e emocionante sessão de despedida na pista do Ana Brandão, por onde juntos patinaram tantas e tantas vezes sozinhos.

SSM Marc Moreno do Lucas: ✡ Outubro de 2012 – † Abril de 2015

Bom, sobre os novos modelos da SSM, podemos dizer que em tempos de alta do dólar, estamos felizes em fazer esse post, fiquem tranquilos, podemos dizer isso com muita propriedade, os Patins SSM duram o bastante para fazer valer cada centavo!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Maxwell Alexandre | Na Pista

Maxwell é o primeiro a retomar a série ‘Na Pista’. Apesar de gostarmos muito da rua, aprendemos a respeitar e gostar muito das sessões cotidianas que acontecem em pistas. Aquelas sessões que ocorrem toda semana, em companhia de bons amigos ou sozinhos, sem missões para cumprir e nada para provar, é apenas colocar o patins no pé e se divertir!

Na pista

Max tem se dedicado às sessões de rua mas como cria da SBR*, aprendeu muitas manobras na ‘miniramp’ da Curva do S, na Rocinha. Resolveu revisitar as transições para fazer seu vídeo, mas dessa vez no Banks da praça Duó. Filmado um tempão atrás pela ótica de um grande amigo e parceiro de projetos, Raphael Medeiros esculachou nas imagens, como já lhe é de costume.

O vídeo explora a contradição entre o clássico e o novo: Patins Street ao som de Billie Holiday, muitas curvas e uma sessão fluída, sol forte e a pista vazia. O preto da roupa combina com a música, triste, a letra inspirada em um poema, aborda questões raciais e teve resistência por parte das gravadoras para ser lançada, mas virou hino para os negros na voz de Holiday, cabe aqui muito bem. É o Max em um (quase) vídeo-poema para toda essa minoria chamada Patins Street, que cresce e resiste!

Em breve mais um dos membros ‘Na Pista’. E para quem ainda não viu o primeiro vídeo da série é só aumentar o som e clicar no link para conferir o post: Vanguarda | Na Pista

Em todos os sentidos,

Vanguarda

* SBR – Associação Skate, Bike e Roller (Patins Street) da comunidade da Rocinha.