Maxwell Alexandre e seu “SANGUE PRETO”

O que o Max está fazendo? Essa pergunta tem sido cada vez mais frequente nas sessões que fazemos por aí. Devolvemos e respondemos: isso tem importância para você? Claro! Max construiu ao longo dos anos uma história dentro do que chamamos Patins Street, ver uma virada nesse momento é no mínimo intrigante, mas para quem está próximo faz todo sentido. Afinal, o Maxwell Alexandre está fazendo Arte e isso é ótimo!

Maxwell - Sangue Preto - InstalaçãoSANGUE PRETO é um dos projetos mais elaborados que vimos nascer dentro dessa cultura, pois vai para além de seu público habitual. Chega ser difícil limitar em palavras o que apresentamos agora: patins street em vídeo, foto, pintura, instalação… ou se preferir: é Patins Street como fim e ferramenta para a forma artística.

O trabalho é resultado do amadurecimento como estudante de comnicação visual e o completo enviesamento pelas artes plásticas. Foi desenvolvido dentro de sua pesquisa de graduação e também uma forma de promover a parceria com a SSM, afinal, os novos e tão esperados patins chegaram no meio do processo (há dois anos atrás, enquanto o Gávea Tourist Hotel abandonado era ateliê e praticamente o segundo lar do Max).

Meu trabalho tinha um foco inicial específico, promover os novos SSMs. Porém, coincidiu de eu recebê-los exatamente no momento em que fazia uma autocrítica de minha trajetória dentro do Patins Street. Patrocínios, títulos, mídias, viagens, competições, tudo isso foram etapas importantes para eu chegar exatamente onde estou, cada degrau ajudou a solidificar meu nome dentro desta cultura, pelo menos em território nacional. Agora, o que me resta? Por que realmente ando de Patins Street? Eu me encontrava em transição, andar de Patins Street deixou de ter um fim prático e passou a ser uma atitude vadia, um meio para minhas criações.”

O fim da SSM em agosto de 2015 foi a pedra de toque nesse processo de transformação. Obviamente o Max não decidiu parar de patinar e muito menos deixar o trabalho pela metade por isso, mas em suas próprias palavras o novo cenário:

“…certamente alterou o caminho do Projeto, que foi deixando cada vez mais o lado da propaganda e se tornando uma homenagem à marca”

Uma vez que não existe mais enquanto marca, para nós a SSM virou um símbolo de resistência e um motivo para ver toda a indústria do Patins Street de outra forma. Já não esperamos outras marcas, mas, outras atitudes de quem leva à frente essa comunidade. O momento é de rever os passos e planejar novas ações para a cena.

Maxwell - Sangue Preto - Fish Stall

O Sangue Preto e audacioso de Maxwell Alexandre é um passo nessa direção, pois abre caminho para que nossa cultura seja mais do que um monte de manobras aglutinadas em um vídeo de patins. Somos apaixonados por isso e sempre será parte da vida: patinar, registrar e disseminar. Uma vez que não esperamos mais nada do Patins Street, finalmente ele pode ser tudo!

We Bleed Black

 

Sessão R.I.P | Maxwell Alexandre

Sensação de mais uma missão cumprida na Vanguarda, esse post traz novidades sobre os novos modelos da SSM e fecha a series RIP (Rest In Peace). Feita para nossos companheiros, que tanto nos aguentaram e mostraram seu verdadeiro valor (em tempos de crise, importantíssimos): resistir a sessões de todos os tipos e gostos, leves e pesadas, por muitos e muitos meses, até mesmo anos. Mad e Lucas, por exemplo, passaram de dois anos com os seus SSM, e o Max que se despede agora e em grande estilo do seu, também passou de um ano e meio com o SSM Bloodline II. Bom, choro derramado pelos finados e vamos dar as boas-vindas aos novos parceiros; muito, muito em breve!

Max - Step to Top Acid - SiteMaxwell é membro-fundador dessa marca, basta buscar em sua linha do tempo, algo perto do início de 2013, para ver essa expressão cheia de significado nascendo: Vanguarda! Mas ele tem honrado o nome e está muito a frente de seu tempo, além das sessões cada vez mais técnicas e significativas (pra quem viu seu vídeo Plaza 50mm vai entender bem o que queremos dizer), de uns tempos para cá mergulhou no mundo das artes plásticas, e o Patins Street veio junto, é claro. Mas em paralelo as sessões não param em RJ, em meio a faculdade, trabalhos, projetos e mais projetos, sempre tem uma merecida sessão. Seu vídeo de despedida dos SSM Bloodline II, para a série RIP, é um pouco de tudo junto e misturado: inovação, arte, a irreverencia de sempre e Patins Street de verdade.

SSM do Max: ✡ Janeiro de 2014 – † Julho de 2015

Despedidas feitas, vamos ao que interessa: os novos SSM já aportaram em terras tupiniquins, estamos somente esperando toda ‘burrocracia’ sair, em alguns dias eles estarão disponíveis em nossa loja on-line e também nas lojas de parceiros da Vanguarda… esperem para comprar seus novos patins, valerá a pena!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Maxwell Alexandre | Na Pista

Maxwell é o primeiro a retomar a série ‘Na Pista’. Apesar de gostarmos muito da rua, aprendemos a respeitar e gostar muito das sessões cotidianas que acontecem em pistas. Aquelas sessões que ocorrem toda semana, em companhia de bons amigos ou sozinhos, sem missões para cumprir e nada para provar, é apenas colocar o patins no pé e se divertir!

Na pista

Max tem se dedicado às sessões de rua mas como cria da SBR*, aprendeu muitas manobras na ‘miniramp’ da Curva do S, na Rocinha. Resolveu revisitar as transições para fazer seu vídeo, mas dessa vez no Banks da praça Duó. Filmado um tempão atrás pela ótica de um grande amigo e parceiro de projetos, Raphael Medeiros esculachou nas imagens, como já lhe é de costume.

O vídeo explora a contradição entre o clássico e o novo: Patins Street ao som de Billie Holiday, muitas curvas e uma sessão fluída, sol forte e a pista vazia. O preto da roupa combina com a música, triste, a letra inspirada em um poema, aborda questões raciais e teve resistência por parte das gravadoras para ser lançada, mas virou hino para os negros na voz de Holiday, cabe aqui muito bem. É o Max em um (quase) vídeo-poema para toda essa minoria chamada Patins Street, que cresce e resiste!

Em breve mais um dos membros ‘Na Pista’. E para quem ainda não viu o primeiro vídeo da série é só aumentar o som e clicar no link para conferir o post: Vanguarda | Na Pista

Em todos os sentidos,

Vanguarda

* SBR – Associação Skate, Bike e Roller (Patins Street) da comunidade da Rocinha.

Vanguarda | Na Pista

Esse post encerra as comemorações de um ano de Vanguarda e também dá abertura para uma nova fase. Mas antes disso, já estava na hora de apresentar uma verdade inegável, afinal, mesmo depois de tanto nos afirmarmos como patinadores de rua (onde de fato acreditamos estar a essência do patins street), temos de confessar que nos amarramos em uma sessão ‘Na Pista!’

A primeira mini tour pré Vanguarda terminou com todos os membros em uma cansada sessão em São Bernardo ‘Campon’, a segunda-feira ensolarada engana a temperatura e os ânimos escodem o cansaço depois de quatro dias de sessão seguidos na rua, filmando e fotografando para o lançamento da marca. Esse vídeo também foi filmado pelos amigos Felipe Zamba e Kaia Malaghini em 2013 e ficou guardadinho esse tempo todo esperando o momento certo de ser lançado. (Assim como esse Fastslide ‘Grebadinho’ do Erick, também por Felipe Zamba)

Erick - Fast - Na Pista

‘Na Pista’ é uma nova série com os membros da Vanguarda fazendo o que muitos patinadores fazem em todas as sessões: escolher um pico, amigos, patinar sem se preocupar em produzir e sem ‘mindgames’ para vencer. É simplesmente deixar fluir e repetir, ou não, as mesmas manobras de sempre, com um sorriso no rosto e a satisfação de estar fazendo o que mais gosta. Apesar de gostar muito da rua, aprendemos a respeitar e gostar muito das sessões cotidianas que acontecem em pistas e picos espalhados por ai, sem restrição mas com muita diversão!

Em todos os sentidos,

Vanguarda

Making of | Fotografia | Felipe Zambardino

Esse post-homenagem marca as comemorações do primeiro ano da Vanguarda. O vídeo ‘making of’ que apresentamos pela primeira vez agora, foi filmado há mais de um ano e meio atrás, e mesmo depois de tanto tempo, ainda não temos palavras para agradecer a parceria do casal mais emblemático do Patins Street nacional: Felipe Zambardino e Kaia Malaghini foram também os responsáveis por várias imagens e fotos que postamos nesse meio tempo. E ainda vão assinar pelas cenas do nosso próximo vídeo, o primeiro da série ‘Na Pista’, que sairá muito em breve, aguardem.

Mad e Zamba patinam juntos desde os anos 90, convivem e respiram a mesma cultura, mas só depois de muitos ‘cliques’ e ‘recs’ na camaradagem, conseguiram fechar uma parceria mais profissional. Contudo, muito além de um trabalho, a amizade continua sendo o fio condutor para dar certo. Desde o primeiro encontro com os membros da Vanguarda, o paizão Zamba praticamente adotou-os e tem os recebido em casa de braços abertos e com sorriso no rosto, sempre que pode. Na última visita, fez questão de fotografar e tratar esses três retratos: Lucas, Mad e Jimmy, respeitando todos os pontos da nossa identidade visual, para assiná-los com orgulho, do início ao fim.

Mas esse post é mais do que um agradecimento, gostaríamos mesmo de chamar a atenção para o excelente trabalho que Zamba tem feito para cena, afinal, em pouco tempo ele se consolidou como um dos principais fotógrafos do Patins Street. Isso não pode passar desapercebido em uma cultura que busca se consolidar, são esses ‘instantes fixados’ que vão dizer para os patinadores das próximas gerações quem fomos e o que fizemos. Tomando por base uma frase do pai do fotojornalismo, podemos dizer que o que o Zamba tem feito, para além de arte, é não deixar que o Patins Street desapareça na história.

 “De todos os meios de expressão, a fotografia é o único que fixa para sempre o instante preciso e transitório. Nós, fotógrafos, lidamos com coisas que estão continuamente desaparecendo e, uma vez desaparecidas, não há mecanismo no mundo capaz de fazê-las voltar outra vez. Não podemos revelar ou copiar uma memória.”

– Henri Cartier-Bresson

A Vanguarda se orgulha de, nesse primeiro ano de história, ter conseguido deixar tão verdadeiros e belos ‘instantes’ nas lentes desse patinador e fotógrafo, que por excelência se tornou uma referência e um dos mais respeitados membros de nossa cultura… Obrigado Zamba!

Em todos os sentidos,

Vanguarda.

Imune em ‘Campon’ | #treinaremeupinto

Já faz um tempo que usamos uma impopular ‘hashtag’ em nossas fotos: #treinaremeupinto.  Para nós ela é um símbolo de uma fase, acho que chegou a hora de uma importante explicação: não estamos ligando a mínima para competições! Mas calma, é pessoal e intransferível. Respeitamos quem gosta e já gostamos também, só não estamos mais com vontade e temos alguns motivos!

Mad - TTS Poly Jam - Imune T!!!Mad e Jimmy patinam juntos pelas mesmas marcas há um tempo, se divertiram muito em eventos, campeonatos e a porra toda, sem hipocrisia… mas se cansaram! Com a Vanguarda conseguiram companhia nesse estado letárgico que explica o relaxo nos principais eventos da cena. Erick, Lucas e Max estão no mesmo não-ritmo de competição. Pode ser uma fase ou um traço de maturidade, não sabemos direito, mas o fato de estar mais a fim de se divertir é o principal motivo. Com a Vanguarda vieram fotos, vídeos e muitas missões pessoais a cumprir, então, às vezes só precisamos de um fim de semana livre, com o patins no pé, amigos e um pico agradável!

Um exemplo perfeito foi aproximadamente há um mês. Jimmy, Lucas e Mad participaram do IMUNE em Campon. Patinar em casa, com os amigos e sem esperar nenhum resultado, tornou o dia leve e divertido. Jimmy chegou às 3h da tarde com a cara inchada de sono e cheio de vontade. Ficou em 4º lugar para provar que não somos atletas e patinar é muito mais estado de espírito, do que treino. Lucas passou o aquecimento todo brincando no caixotinho, ainda assim terminou em 7º, e o Mad não foi pra final (contudo, não consegue deixar de sorrir quando vê essa foto do TTS* no ‘pole jam’ aí em cima!). Maxwell passou por uma experiência parecida na segunda etapa do PSP em Peruíbe, uma semana antes. Ele resolveu seguir o ‘flow’ e fazer o que estava com vontade: passeou pela pista na eliminatória somente com Frontsides e Backsides “sem se preocupar com o nível das manobras”, passou raspando em 9º e terminou em 5º no ‘profissional’. (Tem o vídeo da volta na página dele no facebook, só clicar!)

Jimmy - TopSoul Tork - Imune TOu seja, sabe aquilo de treinar antes, montar uma linha perfeita, cheia de manobras difíceis para os juízes, deixar de fora ‘aquela’ que você gosta, dormir tarde cheio de ansiedade, acordar cedo com sono, pernas trêmulas na hora e ficar triste se errar tudo que tinha planejado? É muito mais gostoso não sentir nada disso e simplesmente patinar, pode confiar! Romper com o romantismo de viver como patinador e fazê-lo por prazer, livre, com um sorriso no rosto e a música certa no fone! Enfim, não vamos deixar de ir aos eventos, afinal estar presente é o que mais importa, encontrar nossos velhos e futuros amigos. Mas é bom deixar bem claro, não vamos treinar! Tudo bem para vocês?

E gostaríamos de agradecer ao Tchesco Xgrind pelas fotos e parceria, sempre!

.

Lucas - One Roll - Imune T!

Em todos os sentidos!

* TTS é a abreviação da manobra True Spin Top Soul

 

Maxwell | Plaza 50mm por Raoni Azevedo

Alguns meses atrás Max recebeu os novos patins como ‘Prospect’ da SSM. A ocasião merecia um vídeo de apresentação e a parceria com o videomaker Raoni Azevedo já estava fechada. Contudo, o tempo estava curto e a forma de patinar como sempre se transformando, sem tempo para tantos mindgames* dessa vez, o resultado foi um role tranquilo e divertido nas novas pistas cariocas: Lagoa e Duó!

Plaza 50mm

Todo esse contexto é perfeito e comum para a grande maioria dos patinadores que trabalha, estuda, namora e tem pouco tempo para filmar seus vídeos. O resultado da parceria é completamente novo: filmado com as clássicas lentes 50 milímetros, o vídeo nasceu naturalmente, sem muitas escolhas e conceituações, assim como o role simples e ‘classudo’ do Max. Cenas fechadas, closes e mais closes, muita luz nas manhãs cariocas, deixam claro o clima das sessões de apenas duas horas antes da pista encher e a responsabilidade bater: hora de ir estudar!

Essa parceria do Max com Raoni fazem do Plaza 50mm uma pequena amostra de como o olhar atrás da câmera pode mudar completamente um vídeo. E também que ser Patinador de Street vai muito além de fazer manobras!

Em todos os sentidos!

* mindgame é o termo usado para definir o que passa na cabeça de um Patinador de Street antes de um manobra. É uma batalha interna para vencer: medo, receios, apurar os sentidos, a concentração. Ou seja, é um jogo para convencer a própria mente do que somos capazes!

Extra, extra, Patins Street é assunto de jornal!

Quantos patinadores você conhece que leem jornal? Ou melhor, quantos patinadores você já viu no jornal? Recentemente, Max e Jimmy foram destaques em jornais locais, Jimmy ganhou a capa do caderno de esportes do ‘O Imparcial’, principal jornal maranhense, e Max acaba de sair no ‘Expresso’, e a versão impressa do Extra, da globo.com no Rio de Janeiro.

-Entretanto fazer esse tipo de matéria tem dois lados: Corremos os riscos de ter fotos estranhas, que não mostram nada com nada e indesejados ‘apelidos’ que não sabemos por qual motivo

os jornalistas teimam em inventar. Mas por outro, pode ser uma experiência agradável e bem divertida. Colocando de fora os motivos pessoais que cada um pode obter com a visibilidade, sabemos que poucas vantagens virão diretamente, como um apertão de bochechas da tia, os parabéns de alguma ‘garota’ nas redes

sociais ou um ‘tapinha’ nas costas do patrocinador. Então, porque fazer? Já respondemos: na real os ‘riscos’ pouco importam, mas sim firmar nosso grupo social para o máximo de pessoas, em especial os leitores desse meio de comunicação!

.

Jimmy - O Imparcial!!!

Max e Jimmy são bons exemplos de como um pouco de clareza, personalidade e postura, podem ainda melhorar as coisas. Ambas as matérias conseguem respeitar não somente as personalidades como apresentar para outro público – aquele que lê jornais – um pouco da nossa cultura. Agora há de se entender, uma vez que o público dos jornais é outro, a linguagem por completo também é outra (texto e fotos). Max conta que mesmo sugerindo para o fotografo mostrar todo o ‘pico’ na foto, ele preferiu fazer um registro mais cotidiano, registando como a manobra se insere na vida de pessoas comuns, que estão indo trabalhar ou qualquer coisa do tipo. O resultado é bem interessante e pode fazer muito mais sentido para o leitor. Se impor e ser firme diante de uma matéria jornalística é nosso papel em respeito a  imagem que as pessoas farão de nós. Jimmy fez questão que fosse escrito da maneira correta e de fácil entendimento para qualquer leitor: somos ‘Patinadores de Street’ e ponto.

-

Gostaríamos de agradecer as fotos gentilmente cedidas pelo Thiago Lontra e Raoni Azevedo, e para quem quiser conferir a matéria do Max completa no Extra, é só clicar aqui!
.

Em todos os sentidos!

Maxwell Alexandre | SSM Bloodline

Com muito orgulho apresentamos o Max como Membro da Vanguarda e como o mais novo Bloodline da SSM. Bem-vindo e parabéns pela conquista, Negão!

Max vive seu melhor momento, com apenas 23 anos de idade está em um ritmo inacreditável com e sem os patins nos pés. Em meios às sessões focadas na RUA está envolvido em diversos projetos paralelos, levando ao máximo os conhecimentos e as referências do curso de Design, que faz com muita seriedade. ‘Retrato’ da FOR já é parte orgânica da grife, a sua primeira parceria rendeu muitos e bons trabalhos. Podemos esperar muito mais, Raphael e Max não param! Também vem dedicando esforços para retribuir à comunidade da Rocinha o que ela lhe proporcionou, fazendo um belo trabalho junto à ONG SBR (Skate, Bike e Rollerblading). Além da nova identidade visual, apresentações, clínicas, Max é um exemplo FODA para a nova geração da sua comunidade!

Anuncio

Com a Vanguarda é o puro fechamento! Além de Patinador, esse malandro é responsável por todo o processo de criação da marca, desde a escolha do nome a cada detalhe visual, tudo pensado teimosamente com muito carinho. Mas, deixando todo esse trabalho de lado, vamos focar na última ‘Marretada’ do Max em forma de vídeo, sua apresentação para a SSM não poderia ter ficado melhor!

 

Sobre a nova parceria vamos deixar a própria SSM falar, dê uma olhada no site deles:  www.shimamanufacturing.com/

Tem também o perfil completo do Max aqui no site da Vanguarda, e a sua fan page no facebook: www.facebook.com/fanpagemaxwellalexandre

Não deixe de vê-lo como Retrato da FOR também: www.urbanfor.com/maxwell-alexandre/

.

Vanguarda | Em todos os sentidos!

 

Festa de Lançamento!

Em novembro de 2012 começamos a buscar algo mais que um nome, para o que é algo mais que uma loja on-line. Vanguarda é o termo tradicionalmente usado para quem está à frente de seu tempo, para quem busca romper com o tradicional e apresentar o novo para toda uma cultura. O punho erguido é um símbolo de resistência e de luta. Vamos exatamente nesse sentido, a começar pela festa de lançamento.

Depois de tanto trabalho, não poderíamos deixar de comemorar com os amigos mais próximos e todos os parceiros envolvidos. Na festa apresentamos os membros e mostramos em primeira mão a essência de cada um em forma de vídeo (montagem). Nada melhor que um típico Snooker Bar regado ao som de clássicos do rock, blues e jazz, para a merecida descontração e para ‘bebemorar’ a chegada, literalmente!

Confiram as fotos da querida amiga Carol Macedo, e se precisarem de algo do tipo entrem em contato – (11) 98418-4479 – carolina_macedo@live.com

Em todos os sentidos!