Sessão R.I.P | Maxwell Alexandre

Sensação de mais uma missão cumprida na Vanguarda, esse post traz novidades sobre os novos modelos da SSM e fecha a series RIP (Rest In Peace). Feita para nossos companheiros, que tanto nos aguentaram e mostraram seu verdadeiro valor (em tempos de crise, importantíssimos): resistir a sessões de todos os tipos e gostos, leves e pesadas, por muitos e muitos meses, até mesmo anos. Mad e Lucas, por exemplo, passaram de dois anos com os seus SSM, e o Max que se despede agora e em grande estilo do seu, também passou de um ano e meio com o SSM Bloodline II. Bom, choro derramado pelos finados e vamos dar as boas-vindas aos novos parceiros; muito, muito em breve!

Max - Step to Top Acid - SiteMaxwell é membro-fundador dessa marca, basta buscar em sua linha do tempo, algo perto do início de 2013, para ver essa expressão cheia de significado nascendo: Vanguarda! Mas ele tem honrado o nome e está muito a frente de seu tempo, além das sessões cada vez mais técnicas e significativas (pra quem viu seu vídeo Plaza 50mm vai entender bem o que queremos dizer), de uns tempos para cá mergulhou no mundo das artes plásticas, e o Patins Street veio junto, é claro. Mas em paralelo as sessões não param em RJ, em meio a faculdade, trabalhos, projetos e mais projetos, sempre tem uma merecida sessão. Seu vídeo de despedida dos SSM Bloodline II, para a série RIP, é um pouco de tudo junto e misturado: inovação, arte, a irreverencia de sempre e Patins Street de verdade.

SSM do Max: ✡ Janeiro de 2014 – † Julho de 2015

Despedidas feitas, vamos ao que interessa: os novos SSM já aportaram em terras tupiniquins, estamos somente esperando toda ‘burrocracia’ sair, em alguns dias eles estarão disponíveis em nossa loja on-line e também nas lojas de parceiros da Vanguarda… esperem para comprar seus novos patins, valerá a pena!

SSM | Em todos os sentidos,

Vanguarda!

Maxwell Alexandre | Na Pista

Maxwell é o primeiro a retomar a série ‘Na Pista’. Apesar de gostarmos muito da rua, aprendemos a respeitar e gostar muito das sessões cotidianas que acontecem em pistas. Aquelas sessões que ocorrem toda semana, em companhia de bons amigos ou sozinhos, sem missões para cumprir e nada para provar, é apenas colocar o patins no pé e se divertir!

Na pista

Max tem se dedicado às sessões de rua mas como cria da SBR*, aprendeu muitas manobras na ‘miniramp’ da Curva do S, na Rocinha. Resolveu revisitar as transições para fazer seu vídeo, mas dessa vez no Banks da praça Duó. Filmado um tempão atrás pela ótica de um grande amigo e parceiro de projetos, Raphael Medeiros esculachou nas imagens, como já lhe é de costume.

O vídeo explora a contradição entre o clássico e o novo: Patins Street ao som de Billie Holiday, muitas curvas e uma sessão fluída, sol forte e a pista vazia. O preto da roupa combina com a música, triste, a letra inspirada em um poema, aborda questões raciais e teve resistência por parte das gravadoras para ser lançada, mas virou hino para os negros na voz de Holiday, cabe aqui muito bem. É o Max em um (quase) vídeo-poema para toda essa minoria chamada Patins Street, que cresce e resiste!

Em breve mais um dos membros ‘Na Pista’. E para quem ainda não viu o primeiro vídeo da série é só aumentar o som e clicar no link para conferir o post: Vanguarda | Na Pista

Em todos os sentidos,

Vanguarda

* SBR – Associação Skate, Bike e Roller (Patins Street) da comunidade da Rocinha.

Chegaram novos produtos na Vanguarda!

“Trabalhamos somente com a modalidade que faz nossos corações pulsarem…” É exatamente isso que sentimos nesse momento, os novos produtos da SSM já estão disponíveis para pronta entrega, um mais FODA que o outro!

Os patins que homenageiam os patinadores da SSM foram um sucesso com a skin vermelha e acabam de ganharam uma nova versão: SSM Bloodline II – Branco. Com o mesmo set-up, o patins dispensa apresentação, é mais um SSM e isso basta para saber que é bom!

SSM Bloodline IISSM Bloodline II - BackSSM Bloodline II - Top

Roda SSM!As novas rodas SSM – Cor Aut Mors (59mm 88a) trazem no nome o lema emblemático dos patinadores da SSM, do latim Coração ou Morte! Produzidas na fabrica da Labeda nos Estados Unidos as rodas têm o mesmo padrão de qualidade das Shredweiser, macias e resistentes, além do perfil arredondado que ajuda no ‘grip’!

Os rolamentos King Crow estão de volta no estoque. A marca que substituiu os antigos ‘Vicious’, apresenta três opções: dois de fabricação com padrão ABEC já conhecido pelos patinadores e um ‘Precision’ para quem quer investir um pouco mais em rendimento, tanto em duração quanto na velocidade. Resumindo: são o verme!

King Crow - PrecisionKing Crow - Abec 9King Crow - Abec 7


Confira todos os produtos clicando aqui “(…) Somos uma loja de Patins Street!”

.

Em todos os sentidos

Maxwell Alexandre | SSM Bloodline

Com muito orgulho apresentamos o Max como Membro da Vanguarda e como o mais novo Bloodline da SSM. Bem-vindo e parabéns pela conquista, Negão!

Max vive seu melhor momento, com apenas 23 anos de idade está em um ritmo inacreditável com e sem os patins nos pés. Em meios às sessões focadas na RUA está envolvido em diversos projetos paralelos, levando ao máximo os conhecimentos e as referências do curso de Design, que faz com muita seriedade. ‘Retrato’ da FOR já é parte orgânica da grife, a sua primeira parceria rendeu muitos e bons trabalhos. Podemos esperar muito mais, Raphael e Max não param! Também vem dedicando esforços para retribuir à comunidade da Rocinha o que ela lhe proporcionou, fazendo um belo trabalho junto à ONG SBR (Skate, Bike e Rollerblading). Além da nova identidade visual, apresentações, clínicas, Max é um exemplo FODA para a nova geração da sua comunidade!

Anuncio

Com a Vanguarda é o puro fechamento! Além de Patinador, esse malandro é responsável por todo o processo de criação da marca, desde a escolha do nome a cada detalhe visual, tudo pensado teimosamente com muito carinho. Mas, deixando todo esse trabalho de lado, vamos focar na última ‘Marretada’ do Max em forma de vídeo, sua apresentação para a SSM não poderia ter ficado melhor!

 

Sobre a nova parceria vamos deixar a própria SSM falar, dê uma olhada no site deles:  www.shimamanufacturing.com/

Tem também o perfil completo do Max aqui no site da Vanguarda, e a sua fan page no facebook: www.facebook.com/fanpagemaxwellalexandre

Não deixe de vê-lo como Retrato da FOR também: www.urbanfor.com/maxwell-alexandre/

.

Vanguarda | Em todos os sentidos!

 

Marcas e Parcerias | SSM

Somos parte dessa comunidade onde o posicionamento vale mais que os benefícios comerciais que podemos obter de cada marca. Exatamente por isso, escolhemos cada uma delas de forma consciente e com muito carinho. São empresas idealizadas e comandadas por patinadores que ajudaram a criar o Patins Street tal com o vivemos, estão ligados visceralmente à nossa cultura, o que é fundamental. Vamos apresentar uma a uma as nossas escolhas e parcerias.

Shima - VanguardaA primeira e mais importante delas, a Shima Skate Manufacturing (SSM), é a responsável por nossos patins. Somos os distribuidores exclusivos no Brasil e queremos colocar um SSM no pé e no coração de qualquer patinador interessado em fazer parte dessa comunidade. Fundada em 2011 pelo lendário e respeitado patinador de street Brian Shima, a SSM é uma verdadeira família em prol da nossa cultura, são literalmente membros de sangue, os assim chamados Bloodlines. Patinadores igualmente respeitados que se juntaram a SSM por vontade de fazer parte de algo mais verdadeiro.

Mas vamos aproveitar a proximidade para deixar o próprio Brian Shima expor seu posicionamento em relação à cena e como ele vê a parceria com a Vanguarda:

“Quando uma empresa não se baseia em lucros, mas sim em algo mais profundo e mais significativo, como um ideal cultural, pode ser difícil encontrar parceiros que pensem de modo parecido. Na SSM nós deixamos de encarar o patins street como uma indústria (principalmente porque não há nada de industrial nele) e começamos a encará-lo como uma comunidade. Tudo o que nos resta é a comunidade da qual somos parte. O patins foi marginalizado a um ponto em que só mesmo um idiota ou alguém que ame muito essa comunidade, tentaria viver dessa cultura (tirar dele seu sustento, sobreviver dele, fazer disso sua vida). Essa paixão pela comunidade é difícil de encontrar igual. A Vanguarda incorpora paixão, cultura, rebeldia, e o mais importante, a própria comunidade. O mercado é apenas o meio para conseguirmos as ferramentas que precisamos para sermos ativos nessa comunidade. Quando nós encontramos um parceiro que não só encara os “negócios” como nós, mas que também está levando essa comunidade ao seu máximo, à 6000 km de distância daqui, sem falar a mesma língua, nós soubemos que estávamos no caminho certo. Se para você a cultura do patins street é mais do que um logo na sua camisa ou do que o material de que seu patins é feito, você tem irmãos no Brasil.

– Brian Shima

 

E para quem quiser saber mais sobre essa relação com o Brasil, que já existe há um tempo, pode conferir no site deles: www.shimamanufacturing.com e para ver os produtos da SSM clique aqui.

Em todos os sentidos

Vanguarda | Em todos os sentidos!

Um pulso fechado erguido em sinal de luta pela consolidação de uma cultura nova, porém crescente, que definiu a rua como seu local de afirmação. Trabalhamos somente com a modalidade que faz nossos corações pulsarem, somos uma loja de Patins Street e mesmo que isso nos coloque em oposição às tendências do mercado, vamos sempre nos mover nessa direção. Trabalhar e patinar para ir além, criar e recriar constantemente, queremos expandir esse mercado, romper com o tradicional e apresentar o não convencional. Mais do que o ciclo básico de comprar e vender, ser referência é também nossa vontade; ir ao encontro de tudo que compõe nossa cultura: arte, cinema, música, a rua.

Escolhemos as marcas que distribuímos pelo seu posicionamento, com base no que elas representam e oferecem para o fortalecimento do Patins Street no Brasil e no mundo. O que vai muito além de especialização e produtos tecnologicamente desenvolvidos, pois a qualidade de cada marca é uma consequência lógica de sua formação e desenvolvimento. Não é mais uma questão simplesmente técnica, esse patamar de preocupação já foi superado no decorrer da nossa história. A evolução dos produtos é apenas uma parte de um movimento muito maior de afirmação cultural, do qual buscaremos sempre fazer parte.

Não somos atletas representando um esporte. Vivemos outra cultura, na qual treinos e competições não têm tanta importância, mas respeitamos quem compete por vontade de vencer os seus próprios limites. Surgimos com a rebeldia do posicionamento na contracultura do ‘esporte’ e a coragem de nos colocarmos como referência para quem acredita em outros caminhos. Vivemos a cada minuto nossas escolhas, vivemos o Patins Street!

Em todos os Sentidos.

Vanguarda!